sábado, 29 de agosto de 2015

PORCELANA DA VISTA ALEGRE







Até princípios do século XIX, Portugal não possuía nenhuma indústria que fabricasse porcelana. Sendo esta muito apreciada em Portugal, a maior parte das peças deste material era importado quer da China no início e mais tarde de outros países da Europa, que entretanto foram descobrindo o segredo da sua produção. A porcelana, produto branco, impermeável e translúcido, constituída basicamente por uma mistura de argila, caulino, quartzo e feldspato.  
É no entanto num Portugal em crise, acabado de sair das Invasões Francesas, vivendo-se ainda a ressaca da Revolução Liberal de 1820 e sem capacidade para dotar o país com as estruturas necessárias ao seu desenvolvimento, que José Ferreira Pinto Basto (1774-1839), figura de destaque na sociedade portuguesa do século XIX, proprietário agrícola, comerciante audaz, que incorporou sabiamente o ideário liberal do século, tendo-se tornado o primeiro exemplo de livre iniciativa em Portugal, influenciado pelo sucesso da fábrica de vidro da Marinha Grande, decidiu criar uma fábrica de porcelanas, vidro e processos químicos. Começou por adquirir, em 1816 em hasta pública a Quinta da Ermida de Nossa Senhora da Penha de França, datada de 1693, perto da vila de Ílhavo à beira da ria de Aveiro, região rica em matérias primas como, barro, areias brancas e finas, seixos cristalizados, elementos fundamentais para o fabrico de vidros e porcelanas. Após ter adquirido terrenos vizinhos, num total de quarenta hectares, lançou-se no seu projeto. No ano de 1824, José Ferreira Pinto Basto apresentou uma petição ao rei D. João VI para; "erigir para estabelecimento de todos os seus filhos, com igual interesse, uma grande fábrica de louça, porcelana, vidraria e processos chimicos na sua Quinta chamada Vista-Alegre da Ermida". O respetivo alvará que autorizou o funcionamento da Fábrica da Vista Alegre foi concedido no mesmo ano de 1824, pelo rei, passando esta a beneficiar de; "todas as graças, privilégios e isenções de que gozam, ou gozarem de futuro, as Fábricas Nacionais". É então fundada em 1824, na Quinta da Vista Alegre, no início da 1ª Revolução Industrial, a primeira fábrica de porcelana em Portugal, que assume, por isso, num país sempre pobre em investimentos e em produção, marcado pela ausência de uma classe que se assumisse como motor de investimento, de industrialização e de modernidade. O fundador associa os seus 15 filhos, passando a fábrica a denominar-se Ferreira Pinto & Filhos. Cinco anos após esta concessão, a Vista Alegre recebeu o título de Real Fábrica, um reconhecimento pela sua arte e sucesso industrial. O seu início foi nessa época marcado pela produção de peças em vidro de grande qualidade, destacando-se as peças com relevos e ornatos lapidados ou gravados, bem como os delicados trabalhos de incrustação de medalhões. Nos primeiros períodos de laboração iniciaram-se com a produção do vidro e cerâmica "pó de pedra", face ao desconhecimento da composição da pasta de porcelana. Só uns anos mais tarde se viria a iniciar verdadeiramente a produção de porcelana mais aperfeiçoada. Essas primeiras peças produzidas pela Vista Alegre, eram caracterizadas por formas simples e uma decoração que revelava igualmente grande simplicidade, sendo muito influenciada pelo gosto dos seus proprietários e do público português de um modo geral.



                                       Prato em porcelana chinesa do séc. XVII, período Transicional (col. priv.)



Pratos em porcelana da China, Companhia das Índias, família Rosa, reinado Qianlong séc. XVIII (col. priv.)
   
 

                                              Peça em porcelana e bronze francesa do séc. XVIII (col. priv.)


    Serviço de chá em porcelana de Sévres do séc. XVIII (col. priv.)
                                               




                                                                                José Ferreira Pinto Basto 1774-1839 (col. priv.)

                                          


          
                 Estatutos da Real Fábrica de Porcelana, Vidros e Processos Chimicos da Vista Alegre (arq. priv.)
                        



                                                   Complexo da quinta da Vista Alegre e capela de Nossa Senhora da Penha de França,
                                                                                                    em meados de 1824 (col. pess.)
                                                                                            


                                                   Produção de vidro no século XIX idêntica à da Vista Alegre em 1824
                                                                                                                  (col. pess.)




    

                                                            Galheteiro e copo em vidro moldado com medalhão da rainha D. Maria II,
                                                                                            fabricados pela Vista Alegre (col. priv.) 

 


                                     

                                            Forno para cozedura de porcelana do séc. XIX idêntico aos da Vista Alegre (col. pess.)



Serviço de chá e café em porcelana da Vista Alegre,
período 1824/35 (col. Museu Palácio dos Biscainhos)

 
 
Marcas nº1 e 2 usadas pela Vista Alegre entre 1824 e 1835 (col. priv.)
 

 
 

A partir de 1832, a fábrica intensificou o seu trabalho e dedicou-se ao aperfeiçoamento da porcelana ali produzida, a designada pasta de porcelana. Com o objetivo de ultrapassar as dificuldades no que dizia respeito à produção dessa porcelana, Augusto Ferreira Pinto Basto (1807-1902), filho do fundador da empresa, realizou uma visita técnica à fábrica de porcelana francesa de Sèvres. Aí terá estudado as técnicas assim como a composição da pasta e obteve esclarecimentos que se revelaram fundamentais para a descoberta em 1832, por Luís Pereira Capote, funcionário da Vista Alegre, de abundantes jazidas de caulino a norte de Ílhavo. As primeiras peças em porcelana mais refinada, são produzidas a partir de então, a simplicidade e lirismo da sua decoração tem também a ver com o ambiente familiar e quase campestre da escola de pintura que se foi desenvolvendo na fábrica. Longe do Porto, Coimbra ou de Lisboa, a serenidade que se vivia em Ílhavo influenciou a estética das suas obras. Criou-se ali uma escola e uma tradição de pintura, que não era muito eficaz nas cenas mitológicas ou temas rocaille à moda de Fragonard, mas ganhou uma grande mestria nos motivos florais. A contribuição de artistas estrangeiros, tais como foi o caso de Victor Rousseau, foi importante, sobretudo para a criação de uma escola de pintura, ainda hoje famosa. Neste período da história da Vista Alegre, assinalam-se fatos como o desenvolvimento de uma obra social, a introdução de decorações a ouro e temas com paisagens e delicadas flores, influências tipicamente francesas dessa época. Surgem as participações em certames como (Paris e Palácio de Cristal no Porto). Em 1851, a Vista Alegre participou na Exposição Universal organizada no Crystal Palace em Londres, e em 1867 recebeu reconhecimento internacional na exposição Universal de Paris. No ano de 1852, o rei consorte D. Fernando II, visitou a fábrica da Vista Alegre, tendo sido produzida uma baixela completa para a casa real que lhe foi oferecida.  São produzidas na fábrica da Vista Alegre, peças em porcelana quer para setores mais populares a par com outras mais requintadas, desde serviços de mesa, chá, café, os famosos paliteiros, vasos, conjuntos de toalete até às peças decorativas mais diversas. Pela sua fama e qualidade, a porcelana da Vista Alegre passa a fazer parte do quotidiano das classes burguesas mais abastadas em Portugal, sendo aconselhada nas publicações de usos e bons costumes do século XIX, aparecendo igualmente citada a sua presença em alguns romances de autores portugueses da época, exemplo, esta passagem do romance de 1878, "O Primo Bazilio", de Eça de Queiroz; "Prosperava com efeito! Não punha na cama senão lençóis de linho. [...] Tinha cortinas de cassa na janela, apanhadas com velhas fitas de seda azul; e sobre a cómoda dois vasos da Vista Alegre dourados!". 
Em meados de 1880 cessa a produção de vidro pela Vista Alegre, dedicando-se exclusivamente à produção de porcelana. Foi na fase da administração de Gustavo Ferreira Pinto Basto (1882-1909), que se iniciou a coleção de peças, as quais andavam "espalhadas" nas dependências da fábrica e que, assim, foram revalorizadas e organizadas. A Vista Alegre inicia também já no final do século XIX, a produção por encomenda para estabelecimentos comerciais da especialidade, de algumas peças e serviços de mesa, assim como embalagens destinadas á indústria farmacêutica.



                                                    Novas tecnologias do fabrico da porcelana europeia em meados dos século XIX,
                                                                                  idêntica á utilizada na Vista Alegre (col. pess.) 

 
Aspeto geral da fábrica da Vista Alegre vista da ria de Aveiro
 em meados dos século XIX (col. pess.)
 
 
                                                            Poncheira em vidro da Vista Alegre
                                                                                               de meados de 1880 (col. priv.)



     Produção da porcelana idêntico ao da fábrica da Vista Alegre em meados do século XIX (arq. pess.)


Oficina de modelação artística da fábrica de porcelana da Vista Alegre no final do século XIX (arq. pess.)


                                               Fornos para cozedura de porcelana idênticos aos utilizados na fábrica da Vista Alegre
                                                                                      em meados do século XIX (arq. pess.)



   Bule de café em porcelana da Vista Alegre produzido na 2ª metade
   do séc. XIX (col. priv.)
 

                                            Imagem de Nossa Senhora da Conceição em porcelana moldada da Vista Alegre,
                                                                     sem marca, segunda metade do séc. XIX (col. priv.)



                               
                                                         Taça em porcelana da Vista Alegre e marca nº 6, 
                                                                                                       período 1836-1851 (col. priv.)

                                          



Jarro e bacia em porcelana da Vista Alegre de meados de 1849 (col. Museu da Vista Alegre)
                         

            Peças de serviço de chá e fruteira em porcelana da Vista Alegre, marca nº 15, período 1852-1869 (col. priv.)



                         
                                                                     Reprodução de fruteira em porcelana da Vista Alegre,
                                                                            do serviço de D. Fernando II em 1852 (col. priv.)






                
                                                               Paliteiro em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 17,
                                                                                          período 1870-1880 (col. priv.)

                                   



Vasos em porcelana da Vista Alegre e marca nº 20, período 1870-1880 (col. priv.)
                          
 

                                                

Conjunto de toalete em porcelana da Vista Alegre e marca nº 20, período 1870-1880 (col. priv.)
 
                                      

                
                                                                     

Principio de funcionamento de mufla do séc. XIX
para fixação de pintura e vidrado da porcelana,
idêntica ás usadas pela Vista Alegre (col. pess.)
 
    

Anúncio do Diário Illustrado à Vista Alegre de 16 de Dezembro de 1880 
(arq. priv.)
 
 
 
    Peças de serviço de chá em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 25, período 1881-1921 (col. priv.) 
 
 
  
                                                             
                                                                    Conjunto de toalete em porcelana moldada da Vista Alegre,
                                                                                                período 1881-1921 (col. priv.)
                                      
 
Prato alusivo a Almeida Garrett em porcelana da Vista Alegre, período 1881-1921 (col. priv.)
 
  
Anúncio da Fábrica de Porcelana da Vista Alegre
de finais do século XIX (col. Museu Vista Alegre)
  

                                                      Terrina em porcelana da Vista Alegre feita por encomenda e marcas nº 23,
                                                                                          período 1881-1921 (col. priv.)


  

   Embalagem farmacêutica em porcelana da Vista Alegra
                                                                           e marca nº 26, período 1881-1921 (col. José M. G. Neto)
                                            
 
   
                                                    Caixa para pasta dentífrica de farmácia em porcelana da Vista Alegre,
                                                                                                   período 1881-1921(col. priv.)



 

Até ao final da I Grande Guerra, o período de brilho da fábrica da Vista Alegre foi ofuscado, pois as conturbações sociais encaminharam a empresa para grandes dificuldades. Contudo, o espírito introduzido pelo fundador e a manutenção da escola de desenho e pintura feita pelo pintor Duarte José de Magalhães, estimularam a reorganização e modernização da empresa. Na década de 1920 é promovida a transformação da empresa numa sociedade de quotas, passando a designar-se Fábrica de Porcelanas da Vista Alegre, Lda. No período de 1922 a 1947, registou-se uma enorme renovação artística da Vista Alegre, destacando-se a colaboração de artistas de renome nacional, tais como Roque Gameiro, Leitão de Barros, Raul Lino, Piló, Delfim Maia, João Cazaux  e outros. O artista  João Cazaux assume nesta época a função de professor e a direção da escola artística da Vista Alegre. Em 1924, com a nomeação de João Theodoro Ferreira Pinto Basto como Administrador-Delegado, iniciou-se um período de ressurgimento, para além do crescimento e renovação na área industrial, também a nível criativo se verificou uma forte revitalização. Estilos modernistas como o Art Deco ou o Funcionalismo revelaram a capacidade de adaptação da empresa às mudanças sociais e estéticas do início de século. A 15 de Dezembro de 1932 a Vista Alegre, foi feita Grande-Oficial da Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial, Classe Industrial. No período que vai entre 1947 e 1968, a Vista Alegre realizou contatos internacionais, com a formação de quadros técnicos especializados e a aquisição da principal concorrente, a empresa Electro-Cerâmica e da Sociedade de Porcelanas. Passa também a Vista Alegre a produzir acessórios em porcelana para instalações elétricas e laboratório.
As baixelas produzidas pela Vista Alegre são escolhidas por muitas instalações hoteleiras, clubes privados e também restaurantes, para brilharem nas suas mesas.  Esta escolha para equipamento de estruturas hoteleiras de apoio ao turismo é feita basicamente devido a três razões: a imagem de marca, a qualidade do produto, e por último o seu design/decoração. Foi instaurada a tradição da produção de peças únicas, como o serviço produzido para Sua Majestade Isabel II, rainha de Inglaterra, aquando da sua primeira visita a Portugal, a partir dai multiplicam-se as colaborações com artistas contemporâneos nacionais e estrangeiros como Jeannine Hetrau, entre outros. No ano de 1964 foi inaugurado o Museu Vista Alegre, expondo desde então ao público peças representativas do seu longo e rico caminho percorrido. Já na década de 1970 a Vista Alegre deu importantes passos na sua modernização tecnológica e prestou mais atenção à formação de jovens pintores.






                                                                     Coleção de postais da Fábrica de Porcelana da Vista Alegre
                                                                                            de meados dos anos 20 (col. pess.)


     Peça em porcelana moldada da  Vista Alegre e marca nº 26, período 1881-1921 (col. priv.)


                          Peças de serviço em porcelana da Vista Alegre e marca nº 26 período 1881-1921 (col. priv.)




                                                         Anúncio alusivo à Exposição no Rio de Janeiro da Vista Alegre em 1921
                                                                                                                  (col. priv.)



Conjunto de chávena de café e pires da Brasileira, Vista Alegre,
marca nº 29, período 1922-1947 (col. priv.)
 



Tinteiro em porcelana da Vista Alegre e marca nº 29, período 1922-1947 (col. priv.)
                                   

Verbetes de alguns modelos de paliteiros em porcelana produzidos
                                                                            pela Vista Alegre em 1922 (col. Museu Vista Alegre)
 
  

Paliteiro em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 29,
                                                                                              período 1922-1947 (col. priv.)
                                                 




                                        Artesãos de Vista Alegre em meados de 1924 (col. Museu da Vista Alegre)
 

                          Peças de serviço de café da Vista Alegre e marca nº 30 de centenário, período 1924 (col. priv.)


  

                                     Desenhos de João Cazaux professor de desenho da Vista Alegre representado respetivamente
                                                            uma varina, Maio de 1925 e um ribatejano Maio de 1929 (col. priv.)



                        
                                             Figura de varina em porcelana moldada da Vista Alegre, 
                                                                      do período de 1922-1947(col. Museu da Vista Alegre)


                                       Vista a partir da ria de Aveiro do complexo da Vista Alegre no início dos anos 30 (arq. priv.)


                                           Centro de mesa em porcelana da Vista Alegre, marca nº 30, período 1924-1947 (col. priv.)



                                                                                Figura em porcelana moldada da Vista Alegre
                                                                                                  período 1924-1947 (col. priv.)



                                                                  Pássaro em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 29,
                                                                                                 período 1922-1947 (col. priv.)


Peças de serviço de chá em porcelana da Vista Alegre, período 1922-1947 (col. priv.)
                  


Verbete da peça Pássaro Cubista de 1932 em porcelana moldada da Vista Alegre (col. Museu Vista Alegre)
 



Pássaro Cubista em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 29, período 1922-1947 (col. priv.)
 
    

                                      Vista aérea do complexo da Vista Alegre em meado dos anos 20 (arq. priv.)

                               
     Bule de chá estilo Art Deco em porcelana da Vista Alegre, marca nº 29, período 1922-1947 (col. priv.)
                    
                                     

                                                            Transporte dos moldes na fábrica da Vista Alegre meados dos anos 30
                                                                                                                (arq. priv.)


Vaso em porcelana moldada da Vista Alegre
  e marca nº 29,  período 1922-1947 (col. priv.)
                                                                               
  

                                              

                                                                           Transporte de esculturas na fábrica da Vista Alegre
                                                                                            meados dos anos 30 (arq. priv.)


                                                                         Isoladores em porcelana da Vista Alegre marca nº 29,
                                                                                          do período 1922-1947 (col. pess.)



                                                                                            Anúncio da Vista Alegre de 1944
                                                                                                                 (col. priv.)


     Almofariz de laboratório em porcelana da Vista Alegre e marca nº 32 período 1947-1968 (col. priv.)


                                                                           Vaso com querubins em porcelana da Vista Alegre
                                                                                 e marca nº 32, período 1947-1968 (col. priv.)




                                                                            Secção de embalagem na fábrica da Vista Alegre
                                                                                          em meados dos anos 40 (arq. priv.)


   
                                                                     Chávena de chá em porcelana da Vista Alegre decoração Lucília
                                                                                      e marca nº 32, período 1947-1968 (col. M. N.)

     



                                                                 Secção de expedição na fábrica da Vista Alegre
                                                                                         em meados dos anos 40 (arq. priv.)


                                    Terrina em porcelana moldada da Vista Alegre, período 1947-1968 (col. priv.)


                                                                 Fruteira em porcelana moldada da Vista Alegre e marca nº 32, 
                                                                                               período 1947-1968 (col priv.)




                                         Escola de pintura da Vista Alegre em meados dos anos 40 (arq. priv.)


                                     Floreira em porcelana moldada da Vista Alegre, período 1947-1968 (col. priv.)


      Artesã modelando uma peça de porcelana na fábrica da Vista alegre meados dos anos 40 (arq. priv.)



Peça decorativa em porcelana da Vista Alegre e marca nº 32,
                                                                                             período 1947-1968 (col. priv.)
                                                          



                                                       Artesãos da Vista Alegre nos finais dos anos 40 (arq. priv.)
         
               
           
                                         Garrafas forma de mulher com trajes portugueses em porcelana moldada da Vista Alegre,
                                                                                             período 1947-1968 (col. priv.)



Chávena e cinzeiro exclusivos para a Wagon Lits em porcelana da Vista Alegre/SP Coimbra e marca nº 32, período 1947-1968
(col. M. N.)




 
   Anúncio da Vista Alegre do Natal de 1950 (col. priv.)
                         


                                                                  Artesão da Vista Alegre modelando peça artística em porcelana
                                                                                             em meados dos anos 50 (arq. priv.)


   Figura feminina clássica em porcelana moldada da Vista Alegre,
                                                                                                 período 1947-1968 (col. priv.)
                                             

                                                                    Figura de campino em porcelana moldada da Vista Alegre
                                                                        e marca em relevo nº 32, período 1947-1968 (col. priv.)




Aspeto de algumas peças do Museu Vista Alegre inaugurado em 1964 (arq. priv.)
 

 
                                            Peças de serviço de mesa em porcelana da Vista Alegre, estilo Mouzinho e marca nº 32, 
                                                                                                 período 1947-1968 (col. M. N.)





                                                                                          Frasco de chá da Vista Alegre nº 32,
                                                                                                período 1947-1968 (col. priv.)




 Departamento de moldes na fábrica da Vista Alegre início dos anos 70 (arq. priv.)


                                              Chávena de chá em porcelana da Vista Alegre e marca nº33,
                                                                                             período 1968-1971 (col. priv.)




                                                                   Casal de perdizes em porcelana da Vista Alegre série limitada,
                                                                        exemplar nº 86, marca nº 33 período 1968-1971 (col. priv.)



Maquinaria de enchimento de moldes da Vista Alegre nos anos 70 (arq. priv.)
 


    
                                             Figura de soldado do Reg.de Infantaria de Peniche do séc. XIX em porcelana moldada
                                                                     da Vista Alegre e marca nº 34, período 1971-1980 (col. priv.)





                                            Artesãos da Vista Alegre em meados dos anos 70 (arq. priv.)


                                                    Prato em porcelana da Vista Alegre e marca nº 34, período 1971-1980 (col. priv.)




                                        Pintura de peça em porcelana moldada da Vista Alegre em finais dos anos 70 (arq. priv.)



                                                                    Figuras de pássaros em porcelana moldada da Vista Alegre
                                                                      e marca nº 35 do 150º aniversário, período 1974 (col. priv.)

 

                                           
                                                                Finalização da decoração de peça em porcelana da Vista Alegre
                                                                                          no final dos anos 70 (arq. priv.)



                                    Acabamento de peça em biscuit da Vista Alegre finais dos anos 70 (arq. priv.)




 
Reprodução de jarro modelo Parra em biscuit da Vista Alegre,
 período 2004-2015 (foto Vista Alegre Atlantis)


 

É sabido que não há peça da Vista Alegre que não tenha a marca da casa. O que talvez não se saiba é que essa marca foi variando em função de quem ia assumindo a presidência do conselho de administração da empresa. Os verdadeiros apaixonados e colecionadores das peças de porcelana da Vista Alegre, conseguem distingui-las e atribuem-lhes o respetivo valor, através das marcas e numeração, que cronologicamente, lhes foram sendo colocadas no momento do seu fabrico. No ano de 1983, é criado o Gabinete de Orientação Artística (GOA), dois anos depois, o Centro de Arte e Desenvolvimento da Empresa (CADE), com a finalidade de fomentar a criatividade e contribuir para a formação nas áreas de desenho, pintura e escultura. Nessa fase, nasceram as séries limitadas de peças de porcelana, chamadas de "séries especiais" e "peças comemorativas". Em 1985, devido ao grande interesse suscitado pelas peças da Vista Alegre, e à procura constante de inúmeros clientes, a empresa resolveu organizar um clube de colecionadores, limitando-o rigorosamente a 2500 sócios. Estes recebem, anualmente, uma peça concebida especial e exclusivamente para eles. Já nos finais da década de 80, realizaram-se importantes exposições internacionais em locais como o Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque ou o Pallazo Reale em Milão, contribuições decisivas para a divulgação e internacionalização da marca Vista Alegre. No ano de 1997 concretiza-se a fusão com o grupo cerâmico Cerexport, que originou quase a duplicação do volume de negócios da Vista Alegre, em especial nos mercados internacionais. Em Maio de 2001, deu-se a fusão da Vista Alegre com o grupo Atlantis, cruzando-se novamente o vidro, agora também o cristal, com a história desta empresa.
É formado então o maior grupo nacional de utensílios de mesa e sexto maior do mundo nesse setor: o Grupo Vista Alegre Atlantis, que atua em diversas áreas. No ano de 2002 foi concluído um processo de reengenharia industrial, que permitiu aumentar a capacidade e volume de produção e a partir de 19 de Janeiro de 2009, o Grupo Visabeira, lança uma OPA à Vista Alegre e adquire o controlo total desta marca. A parceria entre a Vista Alegre Atlantis e a IKEA em 2013, levou à implementação de uma unidade fabril em Aveiro que fornece a cadeia sueca de artigos para o lar. A empresa, pela sua história e tradição, mantém a mais emblemática das onze unidades industriais que compõem o grupo, produzindo cerca de 10 milhões de peças por ano, entre porcelana decorativa e doméstica. Em 2014 a Vista Alegre Atlantis, fez uma parceria com a dupla de designers David Raffoul e Nicolas Moussallem para a criação de peças da sua coleção, em 2015, uma vez mais fez parcerias com artistas de renome internacional, para a nova decoração de peças das suas coleções, como é o caso da portuguesa Joana Vasconcelos, Christian Lacroix e Oscar de la Renta.

 

      Aspeto geral da fachada principal da fabrica e complexo da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)



                                                 Marcas da Vista Alegre ao longo dos tempos (arq. priv.)
 
 

     Artesão da Vista Alegre na atualidade decorado uma peça em porcelana de coleção (arq. priv.)



                                                               Aplicação de motivos dourados numa peça em porcelana clássica
                                                                                                 da Vista Alegre (arq. priv.)


                                                   Prato em porcelana da Vista Alegre de 1980 com vistas do conjunto fabril de Ílhavo,
                                                                            série limitada do clube de colecionadores (col. priv.)


                  Tinteiro em porcelana da Vista Alegre período 1980-1992 (col. priv.)
                                                

                                                              Processo manual de enchimento de molde para peça em porcelana
                                                                                   da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


   Artesã dando acabamento em peças de porcelana da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


        Peças de serviço clássico de mesa em porcelana, da Vista Alegre, decoração Cozinha Velha,
                                                                                 período 1980-1992 (foto Vista Alegre Atlantis)

                                      
     Operária da retocando a decoração de peças em porcelana da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


                                                               Peças em porcelana da Vista Alegre, decorações respetivamente
                                                                                     1 Imari, 2 Margão, 3 Magnólia, 4 Samatra
                                                                                       e marca nº 35, período 1980 (col. M. N.)
                                       
                                                          
 

    Peças diversas em porcelana da Vista Alegre decoração Margão, período 1980-1992 (col. priv.)
                                
                                                       
                               Processo de vazamento de molde de porcelana da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


  
                             Terrina em porcelana da Vista Alegre, encomenda Mottahedeh, período 1980-1992, reprodução   
                               de peça chinesa do séc. XVIII  da col. do Metropolitan Museum of Art, Nova Iorque (col. priv.)

                                      

    Peça em porcelana da Vista Alegre comemorativa de 1989 e marca nº 36, período 1980-1992 (col. pess.)
                                                                                        



                                                 Candeeiro em porcelana da Vista Alegre decoração Samatra período 1997 (col. priv.)


                                                                              Torteira em porcelana da Vista Alegre decoração Salina
                                                                                         e marca nº 37, período 1997 (col. M. N.)
                                                                        

                         

                                                   Fase de acabamento manual de peça em porcelana da Vista Alegre
                                                                                                             (arq. priv.)

    
                                                       Escultura em porcelana moldada biscuit, do escultor Arlindo Manuel Filipe,
                                                                de 1999, representando o Fundador da Fábrica da Vista Alegre,
                                                                  base ornada com o brasão da família Pinto Basto, (col. priv.)
 

 
 


                                                   Peças em cristal produzidas pela Vista Alegre Atlantis
                                                                                                    (fotos Vista Alegre Atlantis)




                                              Forno atual para porcelana na Vista Alegre (arq. priv.)


Processo manual de pintura de peça em porcelana da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


 
 
 
                                         Esculturas em  biscuit moldado da Vista Alegre, marca nº 43 de fabrico,
                                                                                  período 2004-2014 (fotos Vista Alegre Atlantis)

  
 
         Secção de decalque decorativo da Vista Alegre Atlantis na atualidade (foto Nelson Garrido)


                           
                                   Chávenas de café em porcelana da Vista Alegre Atlantis inspirada nas calçadas á portuguesa,
                                                                                período 2004-2015 (foto Vista Alegre Atlantis)


Jogo de xadrez em porcelana moldada da Vista Alegre Atlantis, edição limitada, 
desenhos de Jeannine Hetrau período 2004-2015 (foto Vista Alegre Atlantis)



     Aspeto as instalações da fábrica da Vista Alegre na atualidade, vista da ria de Aveiro (foto Céu Vieira)




    Peças de serviço em porcelana modelo Orquestra da Vista Alegre Atlantis de 2014 (foto Vista Alegre Atlantis)

                                    
 
                                                        Caixa em porcelana moldada da Vista Alegre Atlantis modelo Plissé de 2014
                                                                                                       (foto Vista Alegre Atlantis)
                                                            

A artista Joana Vasconcelos junto de peças da sua criação, decoração Versalles para a Vista Alegre
                                                                                                           (arq. priv.)
 
                                       
  Peças de serviço de mesa em porcelana da Vista Alegre decoração Versailles de Joana Vasconcelos
                                                            e marca nº 43 de fabrico, período 2004-2015 (foto Vista Alegre Atlantis)
                           

 


Peças em porcelana e marca Christian Lacroix/Vista Alegre Atlantis, de 2015
(foto Vista Alegre Atlantis)
 




Mais do que um espaço fabril, a Vista Alegre é hoje um conjunto arquitetónico de inigualável interesse, repositório de memórias sociais e artísticas fundamentais para a construção de uma identidade nacional. O aglomerado fabril, para além da fábrica propriamente dita, inclui ainda moradias construídas para os seus empregados com título vitalício, consoante o seu agregado familiar e necessidades, uma escola, creche, um teatro, instalações desportivas e um corpo de bombeiros. De referir que a corporação de Bombeiros Privativos da Vista Alegre, criada em 1 de Outubro de 1880, é o mais antigo corpo privado de bombeiros em Portugal. Foi também através dos bisnetos do fundador da Vista Alegre, que se introduziu em Portugal a prática dos desportos, em especial o futebol, trazida por estes de Inglaterra em finais do século XIX. Quem visita a Vista Alegre, pode deslumbrar-se ainda com um magnífico templo, um belo palacete e uma lindíssima e bem arborizada quinta. Ao longo dos seus 191 anos, a fábrica da Vista Alegre e mais tarde o seu museu, têm sido um lugar obrigatório de visita, ou, porventura de peregrinação, para muitos milhares de pessoas. Entre elas, contam-se muitas personalidades de relevo; nos livros de visitantes da Vista Alegre, que começaram a existir em 1909, figuram as assinaturas de representantes da nobreza, bispos e arcebispos, ministros portugueses, presidentes da república e diplomatas estrangeiros, entre outros. Devido à sua alta qualidade, as peças da Vista Alegre, nos dias de hoje, encontram-se presentes quer em coleções de famosos, quer de monarcas e governantes de praticamente todo o mundo, como a Casa Branca nos EUA, a Presidência da República portuguesa, entre outras mais. A Vista Alegre para além de ser líder de mercado em Portugal, possuir uma das melhores e mais bem equipadas fábricas de porcelana de todo o mundo, marcou positivamente todos os que nela trabalharam e continuam a trabalhar, tentando proporcionar-lhes as melhores condições para se sentirem motivados, através da promoção de diversas atividades culturais e recreativas. Hoje, os seus trabalhadores sentem orgulho por terem contribuído para o sucesso alcançado pela empresa. A Vista Alegre continua a desenvolver e preservar a porcelana feita e trabalhada à mão, honrando por isso a sua história e tradição. Contudo, devido à internacionalização da Vista Alegre, a manutenção destas características familiares e de envolvimento na cultura popular local, são cada vez mais difíceis de sustentar. O grande desafio para a Vista Alegre será, sem dúvida, manter o seu perfil de empresa organizada de modo familiar, profundamente enraizada na cultura e tradições populares da região de Aveiro, e, ao mesmo tempo, responder às exigências da economia mundial dos tempos atuais. Por toda esta aposta na inovação, qualidade e no design, em 2015 o júri internacional Red Dot Award, composto por 38 profissionais da área do design, concedeu o tão desejado selo de qualidade a dois produtos da Vista Alegre Atlantis. É por tudo isto, a Vista Alegre, uma instituição em Portugal e no mundo, sinónimo de excelência e inigualável qualidade.
 

    Aspeto geral da fachada de entrada principal da fábrica da Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


                                          Chaminé da fábrica de porcelana Vista Alegre na atualidade (arq. priv.)


 Igreja de Nossa Senhora da Penha de França no complexo da Vista Alegre em Ílhavo
(arq. priv.)

 
Aspeto lateral da igreja de Nossa Senhora da Penha de França no complexo da Vista Alegre (arq. priv.)

                    
     Antigas moradias de funcionários e teatro da fabrica de porcelana da Vista Alegre (arq. priv.)


                                                                               Corpo de bombeiros privativos da Vista Alegre
                                                                                          em meados dos anos 20 (arq. priv.)



Fachada do teatro da Vista Alegre recuperado na atualidade (arq. C.M.A.)


Entrada do Museu Vista Alegre junto ao complexo fabril (arq. priv.)
                           

Aspeto de algumas peças expostas no Museu Vista Alegre (arq. priv.)




                                        Aspetos da área industrial do renovado Museu Vista Alegre (arq. Vista Alegre Atlantis


 
Exposição temática organizada pelo Museu Vista Alegre (arq. Museu Vista Alegre)
 










Texto :
Paulo Nogueira

 


 



 

Fontes e bibliografia:


BASTOS, João Theodoro Ferreira Pinto, A FÁBRICA DA VISTA ALEGRE: o Livro do seu Centenário (1824-1924), 1924, Lisboa
Vista Alegre (1824-1974): 150 Anos de Trabalho, Prestígio e Expansão, 1974, Lisboa, Costa e Valério
QUEIROZ, Eça, O Primo Bazilio,  Ed. Livros do Brasil, Lisboa
Vista Alegre: porcelanas. – Lisboa: INAPA, 1989
FERREIRA, Jorge Manuel, Paliteiros da Vista Alegre, 2006, Lisboa, Caledoscópio Ed.
Publicação online Restos de Colecção